502
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo Original

Perfil epidemiológico dos pacientes com queimadura em membros superiores atendidos em uma Unidade de Queimados terciária

Epidemiological profile of patients with burning in upper limbs treated at a tertiary Burns Unit

Flávia Pessoni Faleiros Macêdo Ricci1; Adriana da Costa Gonçalves1,2; Ana Carolina Zampar3; André David Gomes3; Elaine Caldeira de Oliveira Guirro4; Marisa de Cássia Registro Fonseca4

RESUMO

OBJETIVO: Determinar o perfil epidemiológico dos pacientes acometidos por queimaduras nos membros superiores, atendidos no setor de Fisioterapia de um hospital de referência regional do Sistema Unico de Saúde (SUS) no atendimento terciário de saúde.
MÉTODO: Realizada análise dos dados, durante o período de um ano, do setor de Fisioterapia da Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto da Universidade de Sao Paulo. Foram analisados: idade, sexo, procedência, acometimento de membros superiores, agente causal, utilizaçao de substâncias químicas e local do acidente.
RESULTADOS: Foram avaliados 94 casos, destes, 76 apresentavam acometimento de pelo menos um dos membros superiores (80,8%). A idade média foi de 35,3 anos, sendo a faixa etária de 18 a 30 anos e o sexo masculino (68,4%) os mais acometidos. A principal causa de queimadura foi a associaçao de fogo com algum tipo de líquido inflamável, como álcool e gasolina. 39,5% dos pacientes eram provenientes de Ribeirao Preto/SP, sendo 67,1% dos casos acidentes domiciliares, e 5 casos de tentativa de autoextermínio, destes, três deles referentes a pacientes usuários de drogas ilícitas. Em 40,7% dos casos, os pacientes eram usuários de pelo menos uma substância química, como álcool, tabaco ou drogas.
CONCLUSAO: Na amostra analisada, o perfil dos pacientes com queimaduras em membros superiores foi composto principalmente por homens adultos jovens, envolvidos em acidentes domésticos, com líquido inflamável e em grande parte associados ao uso de substâncias químicas.

Palavras-chave: Epidemiologia. Queimaduras. Extremidade Superior.

ABSTRACT

OBJECTIVE: To determine the epidemiological profile of the patients affected by upper limbs burns, treated in the Physicaltherapy division of a regional referral hospital of the unified health system (SUS) in tertiary health care.
METHODS: A survey was conducted of data on patients affected by burns in upper limbs, during the period of one year, in Physiotherapy division of the Burn Unit of the Ribeirao Preto Medical School, University of Sao Paulo. The variables analyzed were: age, sex, origin, involvement of upper limbs, causative agent, use of chemicals and the accident site.
RESULTS: In the studied period 94 cases were evaluated in total, of these, 76 presented involvement of at least one of the upper limbs (80.8%). The average age of these patients was 35.3 years, being the most affected males (68.4%). The main cause of burns was the association of fire with some sort of flammable liquid, such as alcohol and gasoline. The age group most affected was between 18-30 years. 39.5% of the patients were from Ribeirao Preto, with 67.1% of household accidents, and 5 cases of attempted auto-extermination, being 3 of them illicit drug users patients. In 40.7% of cases, the patient was user of at least one chemical substance, such as alcohol, tobacco or drugs.
CONCLUSION: The profile of patients with burns in upper limbs, in this specific sample, was composed mainly of young adult men, involved in domestic accidents, with flammable liquid and largely associated with the use of chemicals.

Keywords: Epidemiology. Burns. Upper Extremity.

INTRODUÇAO

As lesoes por queimaduras ocasionam uma importante diminuiçao da qualidade de vida dos indivíduos acometidos devido a diversos fatores como limitaçoes físicas e sociais, dor, preocupaçao estética, problemas emocionais e retorno ao trabalho1. Queimaduras representam um importante problema de saúde pública e, além das sequelas físicas e psicológicas, geram enormes gastos financeiros para o governo2. No Brasil, a estimativa é que ocorram aproximadamente 1.000.000 de acidentes com queimaduras por ano, sendo a populaçao masculina principalmente acometida, a cozinha doméstica o principal local desses acidentes e o agente térmico seu principal causador2.

Além dos pacientes queimados agudos, o tratamento de sequelas constitui grande parte das internaçoes por queimaduras. Durante um período de seis anos, a Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto realizou 160 internaçoes com esta finalidade de tratamento, sendo as sequelas mais frequentes as cicatrizes hipertróficas e bridas cicatriciais, que sao responsáveis por limitaçoes de movimentos articulares3. Mais da metade destes pacientes realizaram tratamento fisioterapêutico durante sua internaçao.

Com os avanços nos cuidados com queimaduras graves e consequente diminuiçao da taxa de mortalidade, a importância da reabilitaçao desses pacientes tem aumentado progressivamente4. Este é um processo que deve acontecer por meio de atendimento multiprofissional, no qual o fisioterapeuta é responsável, principalmente, pela recuperaçao de aspectos físicos como equilíbrio, restauraçao de amplitudes de movimentos articulares e recuperaçao da funçao da mao e membro superior, entre outros4. Sabe-se que o membro superior é a regiao corporal mais acometida por queimaduras2,3,5, de modo que é essencial a presença de um profissional capacitado para o adequado manejo de cicatrizes, bem como para a determinaçao de condutas e aplicaçao de técnicas voltadas para a prevençao e correçao de deformidades e treinamentos funcionais5,6.

O setor de Fisioterapia da Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto atua por meio de atendimentos ambulatoriais e de enfermaria, realizando técnicas de cinesioterapia e aplicaçao de recursos eletro-fototérmicos, além da confecçao de órteses para o membro superior (Figura 1). Para que seja possível o aprimoramento dos protocolos de tratamento, bem como a definiçao de propostas de prevençao e educaçao em saúde, é necessário o conhecimento detalhado da populaçao que será atendida.


Figura 1 - Ortese dinâmica para correçao de contratura em flexao da interfalangeana proximal do 5º dedo da mao direita, ocasionada por queimadura na face volar, confeccionada na Unidade de Queimados do HCFMRP - USP.



Sendo assim, este estudo teve como objetivo determinar o perfil epidemiológico dos pacientes acometidos por queimaduras nos membros superiores, atendidos no setor de Fisioterapia de um hospital de referência regional do Sistema Unico de Saúde (SUS) no atendimento terciário de saúde, localizado em uma cidade com mais de 600.000 habitantes e com uma populaçao regional de aproximadamente 305.000 habitantes.


MATERIAIS E MÉTODOS

O estudo foi do tipo retrospectivo descritivo, visando levantamento de dados sobre os pacientes acometidos por queimaduras em membros superiores que foram atendidos no setor de Fisioterapia da Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto da Universidade de Sao Paulo. Os dados foram coletados a partir do arquivo próprio do setor de Fisioterapia (ficha de avaliaçao). Foram incluídos os dados de todos os pacientes atendidos durante o período de um ano, de setembro de 2013 a setembro de 2014, e as variáveis analisadas foram: idade, sexo, procedência, acometimento de membros superiores, agente causal, tipo de acidente e outros, que inclui utilizaçao de substâncias químicas. Estes dados foram lançados em uma planilha Excel, pré-elaborada para posterior análise dos dados. Este trabalho faz parte estudo aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, de acordo com o processo HCRP nº 13386/2011.


RESULTADOS

No período estudado, foram avaliados 94 casos no total. Destes, foram selecionados 76 pacientes, que apresentavam acometimento de pelo menos um dos membros superiores, o que correspondeu a 80,8% dos casos.

A idade média destes pacientes foi de 35,3 anos, sendo o sexo masculino mais acometido (68,4%) do que o feminino (Tabela 1). A principal causa de queimadura foi a associaçao de fogo com algum tipo de líquido inflamável, como álcool e gasolina (Figura 2). O segundo agente causal mais frequente foi escaldamento (água ou óleo quente), seguido por choque elétrico. Entre outras causas, podemos citar contato direto com chamas ou brasa, atrito, substância ácida, incêndios domésticos ou em canavial.




Figura 2 - Frequência dos agentes causais das queimaduras em membros superiores.



Quando realizada uma análise de indivíduos vítimas de queimaduras por faixa etária, observou-se que a faixa mais acometida foi entre os 18-30 anos; adultos jovens (Figura 3). Apenas 39,5% dos pacientes eram provenientes de Ribeirao Preto (Figura 4), sendo que 67,1% dos casos foram acidentes domiciliares, cinco casos de tentativa de autoextermínio, sendo três deles referentes a pacientes usuários de drogas ilícitas. Neste período, em relaçao a todos os tipos de acidentes, em 40,7% dos casos, o paciente era usuário de pelo menos uma substância química, como álcool, tabaco ou drogas.


Figura 3 - Distribuiçao por faixa etária dos indivíduos acometidos por queimaduras em membros superiores.


Figura 4 - Procedência dos pacientes atendidos no setor de Fisioterapia da Unidade de Queimados do HCFMRP - USP.



DISCUSSAO

Entre os 94 casos atendidos no período de um ano, 80,8% dos pacientes apresentaram acometimento de pelo menos um dos membros superiores. Esta alta porcentagem vai ao encontro de grande parte dos estudos epidemiológicos em queimaduras, os quais relatam o membro superior como área corporal principalmente afetada2,3,5,7. Isto evidencia a importância de terapeutas especializados, voltados às peculiaridades pertinentes à reabilitaçao da mao e membro superior. Kowalske8 sugere atençao especial ao controle do edema e proteçao dos tendoes extensores, treino funcional e o uso adequado de órteses para maximizar os resultados funcionais dos pacientes com queimaduras nas maos. Em uma revisao realizada recentemente, Cowan & Stegink-Jansen9 estabeleceram prioridades de tratamento de acordo com a fase de reabilitaçao, ou seja, aguda, intermediária e a longo prazo. Divisoes como esta auxiliam o terapeuta na elaboraçao e progressao do protocolo de tratamento.

Os achados do presente estudo apresentam homens, adultos jovens, como principal populaçao acometida por queimaduras em membros superiores. Maslauskas et al.7 realizaram um estudo semelhante, no qual avaliaram o perfil epidemiológico dos pacientes acometidos por queimaduras nos membros superiores, internados em hospital na cidade de Kaunas, situada na Lituânia. Os autores também encontraram adultos jovens, do sexo masculino como populaçao predominantemente afetada, sendo líquidos inflamáveis e escaldamento os principais agentes causadores. Além disso, uma parcela da populaçao estudada estava sob efeito de bebida alcoólica no momento do acidente. Song & Chua10 e Kobayashi et al.11 também realizaram estudos epidemiológicos nos quais encontraram resultados semelhantes a esses no que diz respeito à populaçao acometida e agente causador.

Por outro lado, estudos com esta mesma característica realizados na Europa encontraram resultados diferentes quanto à faixa etária acometida. Brusselaers et al.12 e Dokter et al.13 apontaram crianças como populaçao predominante, sendo escaldamento o agente causador mais frequente. Possivelmente, estas diferenças entre populaçao acometida e agente causador acontecem devido às variadas condiçoes de desenvolvimento dos países onde foram realizados os trabalhos.

O Brasil é um país com extensa desigualdade social e problemas socioeconômicos graves e arraigados, que persistem apesar de campanhas para a prevençao de acidentes14, e medidas legislativas, como a restriçao ao álcool líquido de maior potencial inflamável, que entrou em vigor no ano de 201315.

Além da questao de acidentes domésticos, a utilizaçao de substâncias químicas, legalizadas ou nao, também representa um grave problema de saúde pública, uma vez que está diretamente relacionada à violência doméstica, violência no trânsito, sobrecarga do sistema de saúde e homicídios16. No presente estudo, a maioria dos casos de tentativa de suicídio ocorreram em usuários de drogas ilícitas. Hahn et al.17 realizaram uma revisao da literatura com o objetivo de identificar, entre outros, fatores de risco para tentativa de autoextermínio por meio de fogo e afirmam que o uso de bebidas alcoólicas e drogas é claramente considerado um importante fator de risco.

Diante do quadro apresentado, há a necessidade de políticas públicas de educaçao em saúde, bem como sua intensificaçao. Medidas como o Programa Saúde nas Escolas, que visa à formaçao integral dos estudantes por meio de açoes de promoçao, prevençao e atençao à saúde, poderiam auxiliar na consolidaçao de conceitos referentes à prevençao de acidentes e consumo de substâncias químicas, uma vez que a conscientizaçao realizada em sala de aula pode ser transmitida por meio dos alunos para suas casas e famílias.


CONCLUSAO

Podemos concluir que o perfil dos pacientes com queimaduras em membros superiores, nesta amostra específica, foi composto principalmente por homens adultos jovens, envolvidos em acidentes domésticos, com líquido inflamável e em grande parte associados ao uso de substâncias químicas. A importância de um programa de reabilitaçao específico e efetivo se torna indispensável, uma vez que se trata predominantemente de indivíduos jovens em idade laboral, com acometimento de membros superiores, que necessitam retornar ao trabalho, atividades diárias e ao convívio social, o que demanda um amplo processo de reabilitaçao nao apenas físico, mas psicológico e social.


REFERENCIAS

1. Ryan CM, Lee A, Kazis LE, Schneider JC, Shapiro GD, Sheridan RL, et al.; Multicenter Burn Outcome Group. Recovery trajectories after burn injury in young adults: does burn size matter? J Burn Care Res. 2015;36(1):118-29.

2. Cruz BF, Cordovil PBL, Batista KNM. Perfil epidemiológico de pacientes que sofreram queimaduras no Brasil: revisao de literatura. Rev Bras Queimaduras. 2012;11(4):246-50.

3. Silva LA, Marques EGSC, Jorge JLG, Naif-de-Andrade CZ, Lima RVKS, Andrade GAM, et al. Avaliaçao epidemiológica dos pacientes com sequelas de queimaduras atendidos na Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - Universidade de Sao Paulo. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(3):168-72.

4. Schneider JC, Qu HD, Lowry J, Walker J, Vitale E, Zona M. Efficacy of inpatient burn rehabilitation: a prospective pilot study examining range of motion, hand function and balance. Burns. 2012;38(2):164-71.

5. Moore ML, Dewey WS, Richard RL. Rehabilitation of the burned hand. Hand Clin. 2009;25(4):529-41.

6. Dewey WS, Richard RL, Parry IS. Positioning, splinting, and contracture management. Phys Med Rehabil Clin N Am. 2011;22(2):229-47.

7. Maslauskas K, Rimdeika R, Saladzinskas Z, Ramanauskas T. The epidemiology and treatment of adult patients with hand burns in Kaunas University of Medicine Hospital in 1985, 1995, 2001 and 2002. Medicina (Kaunas). 2004;40(7):620-6.

8. Kowalske KJ. Hand burns. Phys Med Rehabil Clin N Am. 2011;22(2):249-59.

9. Cowan AC, Stegink-Jansen CW. Rehabilitation of hand burn injuries: current updates. Injury. 2013;44(3):391-6.

10. Song C, Chua A. Epidemiology of burn injuries in Singapore from 1997 to 2003. Burns. 2005;Suppl 1:S18-26.

11. Kobayashi K, Ikeda H, Higuchi R, Nozaki M, Yamamoto Y, Urabe M, et al. Epidemiological and outcome characteristics of major burns in Tokyo. Burns. 2005;Suppl 1:S3-11.

12. Brusselaers N, Monstrey S, Vogelaers D, Hoste E, Blot S. Severe burn injury in Europe: a systematic review of the incidence, etiology, morbidity, and mortality. Crit Care. 2010;14(5):R188.

13. Dokter J, Vloemans AF, Beerthuizen GI, van der Vlies CH, Boxma H, Breederveld R, et al. Epidemiology and trends in severe burns in the Netherlands. Burns. 2014;40(7):1406-14.

14. Sociedade Brasileira de Queimaduras. Prevençao [Acesso 20 Dez 2014]. Disponível em: http://sbqueimaduras.org.br/categoria/prevencao/

15. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resoluçao - RDC nº 46, de 20 de fevereiro de 2002. Disponível em: http://s.anvisa.gov.br/wps/s/r/baEI

16. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n.º 737/GM 16 de maio de 2001. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/comissao/acidentes_violencias2.htm#politica

17. Hahn AP, Jochai D, Caufield-Noll CP, Hunt CA, Allen LE, Rios R, et al. Self-inflicted burns: a systematic review of the literature. J Burn Care Res. 2014;35(1):102-19.










1. Alunas de Doutorado - Programa de Pós-Graduaçao em Reabilitaçao e Desempenho Funcional - Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - USP, Ribeirao Preto, SP, Brasil
2. Fisioterapeuta, Doutora - Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas - Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - USP, Ribeirao Preto, SP, Brasil
3. Alunos de Graduaçao - Curso de Fisioterapia da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - USP, Ribeirao Preto, SP, Brasil
4. Docentes - Departamento de Biomecânica, Medicina e Reabilitaçao do Aparelho Locomotor - Programa de Pós-Graduaçao em Reabilitaçao e Desempenho Funcional - Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - USP, Ribeirao Preto, SP, Brasil

Correspondência:
Flávia Pessoni F. M. Ricci
Programa de Pós-Graduaçao em Reabilitaçao e Desempenho Funcional - FMRP - USP
Av. Mário Covian, 200
Ribeirao Preto, SP, Brasil - CEP: 14049-900
E-mail: flavia.macedo@usp.br

Artigo recebido: 13/2/2015
Artigo aceito: 17/4/2015
Nao há nenhum conflito de interesses referente a este artigo.

Local de realizaçao do trabalho: Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - USP, Ribeirao Preto, SP, Brasil.

© 2020 Todos os Direitos Reservados