1742
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo de Revisao

Assistência de enfermagem a pessoas com queimaduras por fogo em decorrência de suicídio: revisão integrativa da literatura

Nursing care to people with burns after self extermination with fire: integrative review of literature

Simone Deslandes de Andrade; Isabela Mie Takeshita; Lilian Machado Torres

RESUMO

OBJETIVO: Caracterizar na literatura científica a assistência de enfermagem prestada aos suicidas vítimas de queimaduras térmicas por fogo.
MÉTODO: Revisao integrativa a partir dos descritores: "tentativa de suicídio", "fogo", "queimaduras" e "enfermagem" nas bases de dados Lilacs e Scielo. Foram incluídos artigos disponíveis na íntegra em português e espanhol, publicados entre 2006 e 2015. A amostra constituiu-se de 12 publicaçoes.
RESULTADOS: O cuidado de saúde ao indivíduo queimado é similar ao prestado em unidades de terapia intensiva. Exige do profissional conhecimento, compromisso e atuaçao multiprofissional livre de preconceito, além da valorizaçao do apoio familiar. A assistência tem por finalidade a diminuiçao de riscos e complicaçoes, contribuindo efetivamente no seu processo de cura e reabilitaçao. As relaçoes interpessoais sao difíceis, a carga horária é extensa, a assistência é complexa e leva à necessidade de estratégias de gestao para promover a qualidade de vida do profissional e uma assistência mais qualificada ao indivíduo.
CONCLUSAO: A complexidade assistencial às vítimas requer profissionais preparados e capacitados para atuar de forma eficaz, resolutiva, humanizada e integral. Quebrar tabus construídos ao longo da história humana, considerando a motivaçao para o autoextermínio, é produzir uma assistência livre de julgamentos e baseada em evidências e na sistematizaçao dos cuidados.

Palavras-chave: Enfermagem. Tentativa de suicídio. Fogo. Queimaduras.

ABSTRACT

OBJECTIVE: To characterize the scientific literature to nursing assistance to suicide victims thermal burns fire.
METHODS: Integrative review using the descriptors: "suicide attempt", "Fire", "burns" and "nursing" in databases: Lilacs and Scielo. Full papers in Portuguese and Spanish, published between 2006 and 2015, were included. The sample consisted of 12 publications.
RESULTS: The health care to large individual burned is similar to that provided in intensive care units. It requires professional knowledge, commitment and prejudice-free multi-role, in addition to the enhancement of family support. The assistance aims at reducing risks and complications, effectively contributing to your healing and rehabilitation process. Interpersonal relationships are hard, the hours are long, the assistance is complex and leads to the need for management strategies to promote an improvement of the professional quality of life and a more skilled patient care.
CONCLUSION: The complexity care for victims requires prepared and trained professionals to work effectively, termination, humane and comprehensive. Breaking taboos built throughout human history, taking into consideration which led the individual to attempt on his own life is to produce a free service trials and less mechanized, based on evidence and the systematization of care.

Keywords: Nursing. Suicide, Attempted. Fire. Burns.

INTRODUÇAO

Com base na Classificaçao Internacional de Doenças (CID 10), o suicídio é descrito como "o ato de autoprovocar lesoes intencionalmente" e considerado uma enfermidade multidimensional1. Representa uma escolha de morte e um problema psicossocial histórico da humanidade, sendo que a prevalência é menor em países mais ricos2. Pesquisas revelam que 10 a 20 milhoes de pessoas por ano no mundo tentam suicídio e o número de tentativas supera o número de atos consumados em pelo menos dez vezes3.

O Brasil registrou, em 2011, um total de 9.852 mortes por suicídio. O coeficiente médio para o período entre 2004 a 2010 foi de 5,7%. Esse índice aumentou 29,5% nos últimos 20 anos, sendo mais elevado em homens, idosos, indígenas e em cidades de pequeno e médio porte populacional4-6.

As tentativas do ato no Brasil representam uma importante questao médico-social por gerar altos custos nas unidades de tratamento. Em 2001, foram gastos cerca de R$ 163 mil por vítima, enquanto os homicídios e os acidentes de trânsito apresentam médias de R$ 189,5 mil e R$ 172 mil, respectivamente7.

A incidência das tentativas de suicídio por queimaduras térmicas utilizando o fogo e seus aceleradores (álcool, querosene e gasolina) está correlacionada a fatores ambientais como depressao, transtorno de personalidade borderline, esquizofrenia e comportamentos de risco8. Os desfechos sao piores quando comparados às vítimas de queimaduras acidentais ou por agressoes, pois levam o indivíduo à morte, ou produzem cicatrizes desfigurantes, bem como recuperaçao prolongada e dolorosa, interferindo também em seu estado emocional2,9.

As equipes de saúde devem conhecer a fisiopatologia e a terapêutica a ser ministrada para oferecer melhor assistência ao queimado, no sentido de reduzir suas dores físicas e emocionais, medos e ansiedades por meio de procedimentos técnicos e administrativos. As condutas iniciais como a adoçao de cuidados específicos proporcionam o direcionamento correto dos cuidados de enfermagem que concorrerao para a boa evoluçao do quadro10.

Alguns autores definem como cuidados da equipe que inclui a presença do enfermeiro, num primeiro momento, a avaliaçao neurológica, a observaçao de possíveis obstruçoes em vias aéreas superiores (consequência de lesoes inalatórias); presença de movimentos ventilatórios e das trocas gasosas e possíveis focos hemorrágicos, o que requer reposiçao volêmica11. Em seguida, o enfermeiro deve proceder à coleta de informaçoes por meio do processo de enfermagem, no sentido de sistematizar a assistência12.

Dentre os cuidados de enfermagem específicos ao grande queimado, estao as intervençoes na própria lesao provocada pela queimadura. Todos os aspectos que incluem prevençao de infecçoes e traumas, além do alívio da dor, devem ser considerados13.

As políticas de prevençao de suicídio têm por meta minimizar as taxas de suicídio e das tentativas, com vistas à reduçao dos danos causados na sociedade. Dessa maneira, surge a necessidade de aprofundar conhecimentos científicos sobre o tema, sensibilizando e preparando os profissionais de saúde para lidar com essa realidade14.

Percebe-se a carência de publicaçoes que abordem em profundidade a temática proposta15 no sentido de subsidiar o cuidado de enfermagem prestado às vítimas.

Diante do exposto, questiona-se: quais as particularidades da assistência de enfermagem prestada aos suicidas vítimas de queimaduras térmicas por fogo evidenciadas na literatura científica?

Este estudo teve como objetivo caracterizar na literatura científica a assistência de enfermagem a suicidas vítimas de queimaduras térmicas por fogo.


MÉTODO

Revisao integrativa da literatura realizada na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Revisao Integrativa é considerada um método de pesquisa do que já está divulgado de forma empírica ou teórica, para propiciar uma compreensao mais abrangente de um determinado fenômeno16.

Para construir esta revisao integrativa, foram percorridas seis etapas distintas; elaboraçao do problema, coleta, avaliaçao, análise e interpretaçao dos dados coletados e a apresentaçao pública17.

Para atender ao objetivo proposto, foram selecionados os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) direcionados à temática proposta: "tentativa de suicídio", "fogo", "queimaduras" e "enfermagem". Foram utilizadas as bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Scientific Electronic Library Online (Scielo). A busca de publicaçoes ocorreu em fevereiro de 2016, no Portal da BVS, pelo site www.bvssalud.org, que integra as bases citadas.

Foi utilizado o boleano "AND" para os seguintes cruzamentos dos descritores: Tentativa de suicídio AND Fogo; Tentativa de suicídio AND Queimaduras; Queimaduras AND Enfermagem. Em seguida, foi realizada uma pesquisa adicional no periódico Revista Brasileira de Queimaduras em 169 trabalhos publicados.

Como critérios de inclusao foram aceitos artigos disponíveis na íntegra, nos idiomas português e espanhol, referentes ao período de janeiro de 2006 a dezembro de 2015. O intervalo de tempo foi definido em funçao da divulgaçao da Cartilha de Prevençao ao Suicídio, em 2006.

Após o cruzamento dos descritores selecionados nas bases de dados Lilacs e Scielo, evidenciou-se uma populaçao de 44 publicaçoes. Na fonte adicional de busca, Revista Brasileira de Queimaduras, 169 artigos foram considerados, totalizando uma populaçao de 214 pesquisas.

A partir da leitura dos títulos e resumos, permaneceram 38 artigos que abordavam a assistência de enfermagem aos suicidas vítimas de queimaduras térmicas por fogo. Após a leitura na íntegra dos 38 trabalhos, a amostra do presente estudo foi constituída por 12 deles referentes à variável de interesse (Quadro 1).




RESULTADOS

Após a análise dos 12 artigos selecionados que caracterizam a assistência de enfermagem a suicidas vítimas de queimaduras térmicas por fogo, foi realizado o fichamento de cada um dos trabalhos para a extraçao das respostas à questao proposta, no sentido de posteriormente ser realizado o agrupamento de ideias em comum.

A partir dos pontos destacados em cada pesquisa, buscou-se identificar quais seriam coincidentes para a maioria dos autores, organizados, dessa forma, em categorias. Destacaram-se três categorias: Assistência de enfermagem ao indivíduo queimado por tentativa de suicídio com fogo, Sentimentos e necessidades de quem cuida de suicidas com queimaduras por fogo, e Elementos essenciais para uma assistência de qualidade ao indivíduo queimado por fogo na tentativa de suicídio.

Assistência de enfermagem ao indivíduo queimado por tentativa de suicídio com fogo

Sao cuidados de alta complexidade pela grande área de superfície corporal queimada18 ao se perceber que os indivíduos ficam mais susceptíveis a possíveis complicaçoes e elevado risco de morte.

Somado a isso, é possível assistir à baixa adesao ao tratamento, o que torna a recuperaçao mais lenta se comparada aos pacientes com queimaduras acidentais. Para alguns autores, o desejo de morrer e a pouca colaboraçao pioram o prognóstico19.

A incapacidade física e o aspecto desfigurante advindos das sequelas causadas pelas queimaduras representam grande impacto na vida do indivíduo, interferindo em seu psicossocial20.

Os cuidados de enfermagem em Centro de Tratamento de Queimados sao similares aos cuidados prestados em Unidade de Terapia Intensiva, exigindo do profissional uma assistência constante e rigorosa baseada em evidências e que sejam eficazes na reduçao da morbimortalidade21.

Urge extrapolar a preocupaçao em executar a técnica adequada e realizar as açoes prescritas. É relevante oferecer apoio psicológico ao indivíduo e seus familiares, de modo que compreendam toda a sua situaçao e mobilizem esforços para a aceitaçao de conviver com as mudanças e sequelas das queimaduras22.

A dor do indivíduo queimado e seu gerenciamento sao pontos chave na assistência e estao relacionados a atividades específicas como a limpeza das lesoes, os desbridamentos de tecidos desvitalizados, as trocas de curativos e a fisioterapia. A manifestaçao da dor surge com maior intensidade na primeira e na segunda fase do tratamento (fase aguda e subaguda), momentos nos quais é realizada a maioria dos procedimentos invasivos23.

O gerenciamento da dor é de extremo valor no tratamento das queimaduras, por ser considerada como quinto sinal vital, merecendo destaque nas avaliaçoes e intervençoes realizadas. A escala numérica de "zero a dez" é o instrumento de avaliaçao da dor mais empregado; por outro lado, escalas com desenhos de face que expressam maior ou menor intensidade também sao utilizadas23.

Em relaçao à dor insuportável, o tratamento é aplicado com todos os grupos de fármacos, associados a adjuvantes (sedativos, anticonvulsivantes, antidepressivos, neurolépticos). Na dor aguda realizam-se técnicas anestésicas como a anestesia regional e métodos nao farmacológicos (acupuntura, massagem, relaxamento, toque terapêutico e cromoterapia), e por fim a terapia de distraçao24.

A caracterizaçao do tipo de assistência prestada faz emergir nos profissionais algumas necessidades e sentimentos que merecem ser considerados.

Sentimentos e necessidades de quem cuida de suicidas com queimaduras por fogo

As maiores dificuldades da assistência prestada sao a nao aceitaçao e o nao entendimento das causas das queimaduras, direcionando a equipe ao desgaste mental e à exaustao. A convivência complicada com o sofrimento alheio, a carga horária extensa de trabalho e a responsabilidade das açoes25 sao obstáculos que tornam o processo da queimadura sofrível para quem o vivencia e também para quem o assiste.

A desinformaçao e o preconceito em entender suicidas geram abordagem inadequada, caracterizada por hostilidade e rejeiçao, uma vez que a tentativa de autoextermínio é uma açao carregada de intençao, resultante de escolha pessoal, o que nao favorece a identificaçao de seus autores como indivíduos que necessitam de cuidados26.

A sensaçao de impotência dos profissionais frente aos suicidas é comum, pois envolve questoes psicoafetivas de uma clientela singular que, por inúmeras razoes, tentou desistir da vida. Essas questoes sao dialeticamente opostas às açoes da equipe de saúde que no seu cotidiano de trabalho empreendem esforços para salvá-la25.

Profissionais reagem de formas diferentes ao prestar assistência. No primeiro contato alguns deles ficam em estado de choque ao tocar em uma pessoa sem pele e ao sentir o odor característico das queimaduras27.

Ferramentas sao empregadas pelos profissionais de saúde para a manutençao de seu equilíbrio psíquico. Alguns utilizam mecanismos de defesa dos sentidos, que sao percebidos no desejo de proteçao auditiva, na preferência em ouvir somente a própria voz enquanto cuida ou na dificuldade para retornar ao trabalho. Ao empregar tais mecanismos, os profissionais deixam de prestar cuidado de qualidade e humanizado25.

Um fator de contentamento do profissional é o sucesso do tratamento e a alta hospitalar, pois ele percebe que seu empenho e dedicaçao foram bem-sucedidos. Outros fatores positivos sao o prazer do profissional por trabalhar nessas unidades, pela oportunidade de aprendizado e crescimento pessoal18,25,27.

Diante deste cenário, o profissional de saúde pode ser levado a dois caminhos: o do sofrimento psíquico ao realizar os cuidados ao indivíduo ou o da superaçao por meio da criatividade25.

Nao obstante os cuidados prestados e os aspectos emocionais tanto das vítimas como dos que assistem, existem elementos considerados essenciais para qualificar a atençao dispensada.

Elementos essenciais para uma assistência de qualidade ao indivíduo queimado por fogo na tentativa de suicídio

Acolher e ouvir a pessoa oferecendo espaço para que ele se expresse é de extrema importância, sendo que a integralidade do cuidado é um bem a ser protegido e sustentado nas práticas de saúde28.

Proporcionar a reabilitaçao adequada, livre de julgamentos e estigmas torna-se fundamental no atendimento a esse público singular. Passa a ser reconhecido também o papel das instituiçoes de saúde na disponibilizaçao de recursos e apoio aos trabalhadores que prestam assistência a essas vítimas27.

Compreender as percepçoes da equipe de enfermagem sobre o seu trabalho, provocando reflexoes, é o que fará a diferença na melhoria do atendimento prestado às vítimas e na qualidade de vida dos trabalhadores18.

Isso posto, torna-se necessário considerar o suporte emocional, além do exclusivamente técnico-procedimental para as equipes assistenciais.


DISCUSSAO

A literatura reforça os achados dessa revisao de que os cuidados prestados aos indivíduos queimados sao de alta complexidade, pois perderam sua maior barreira e proteçao contra infecçoes, a pele, sendo possível ainda morrer por septicemia29. Ressalta-se, ainda, que sao indispensáveis para a diminuiçao dos riscos de infecçao a manutençao da técnica asséptica, a administraçao criteriosa de fármacos, a rigorosa higiene corporal e a nutriçao adequada. As lesoes devem ser tratadas diária e meticulosamente, e qualquer alteraçao deverá ser relatada e intercedida pelo profissional cuidador30.

Para uma maior eficácia no processo de cicatrizaçao das lesoes por queimadura, sao avaliados o percentual de área queimada e a profundidade da lesao. Em queimadura de terceiro grau sao necessários procedimentos de desbridamento com uso de enxertos. Ocorre desequilíbrio nutricional devido ao hipermetabolismo, o que corresponde a uma anormalidade metabólica desencadeada pelo estresse da lesao. Assim, para que ocorra a cicatrizaçao da ferida, torna-se necessária a ingestao adequada de calorias e proteínas que atendam às exigências nutricionais31.

Nao se pode deixar de ressaltar o fato de que no período de internaçao os sentimentos de ansiedade e depressao sao demonstrados pelas vítimas e interferem na adesao aos cuidados e no tratamento, dificultando as relaçoes pessoais e interpessoais do indivíduo32.

Portanto, a alta complexidade requer um atendimento além da característica intensiva e imediata à vítima, no intuito de reanimar o seu estado fisiológico e na tentativa de se estabelecer um quadro estável. O indivíduo deve ser avaliado e assistido de forma holística em relaçao aos estressores psicológicos decorrentes da separaçao familiar, mudanças corporais, despersonalizaçao e perda da autonomia33.

Além disso, referindo-se à individualidade dos planos de cuidados, estudo norte-americano revela que, apesar dos cuidados recebidos em centros altamente especializados, os indivíduos queimados ainda apresentam riscos elevados de complicaçoes e morte, sendo necessário o uso de tratamentos individualizados ou até mesmo experimentais34.

Os cuidados de enfermagem dependem de um histórico completo que envolve desde o agente causal da queimadura até avaliaçao do estado hemodinâmico. O tratamento é baseado na manutençao das condiçoes gerais do indivíduo, prevenindo possíveis complicaçoes e o comprometimento de órgaos nobres, o que está de acordo com a multidisciplinaridade descrita nos resultados35.

Fatores como superfície corporal das queimaduras e sua profundidade, idade avançada, presença da inalaçao da fumaça, regime da reposiçao hídrica, procedimentos cirúrgicos e uso racional de antimicrobianos estao intimamente relacionados à mortalidade29.

A gestao da dor também foi abordada por esta revisao e a literatura apoia os achados ao destacar ser um processo complexo e desafiador, um problema evidente, devendo ser prioridade para a equipe multiprofissional a busca pelo seu controle32.

A equipe de enfermagem precisa estar apta a identificar os sinais e amenizar esse sofrimento. A avaliaçao contínua e frequente da resposta apresentada é de extrema importância, o que agrega e completa a atuaçao do enfermeiro no que se refere ao gerenciamento da dor do indivíduo36.

O bem-estar do paciente queimado pode ser promovido também por meio da participaçao familiar nas trocas de curativos. Estudo sobre a presença da família em terapia intensiva nas trocas de curativos elevou a satisfaçao dos indivíduos, ao passo que nao houve aumento de infecçoes e nem de eventos adversos. Os profissionais da saúde sao responsáveis por tratar as necessidades físicas, mas também psicológicas e espirituais dos indivíduos e familiares, e comprovam ser possível, por meio de estímulos adequados37.

Os riscos psicossociais foram evidenciados no presente estudo e por outros autores ao detectarem que nas unidades assistenciais que cuidam de vítimas de tentativa de suicídio por autoimolaçao, a carga horária de trabalho é extensa, há alto grau de responsabilidade e uma falta de reconhecimento do profissional38.

Durante os cuidados, surgem confrontos devido à agressividade, à depressao, à negatividade de algumas vítimas e, muitas vezes, torna-se difícil lidar psicologicamente com essa situaçao. A falta de tempo para ouvir gera culpa por compreender que muitos dos indivíduos precisam desabafar. Por haver um relacionamento muito próximo com outros profissionais e com os familiares, existe a possibilidade de novos conflitos, fator apontado como dificultador para a assistência32.

Alguns autores citam o fato da tentativa de suicídio por autoimolaçao ser uma das mais dramáticas e violentas, o que resulta, eventualmente, no nao entendimento por parte dos profissionais9. No entanto, a experiência e a habilidade dos membros da equipe têm facilitado a execuçao das técnicas, amenizando a ansiedade na execuçao dos cuidados. Por outro lado, o domínio teórico permite que a assistência de enfermagem tenha o caráter resolutivo e independente31, o que vai de encontro aos resultados encontrados.

Na busca do equilíbrio e bem-estar das equipes que estao à frente do cuidado, é importante reconhecer os fatores de risco a saúde do profissional em seu ambiente ocupacional. Boas relaçoes com a chefia e com os colegas proporcionam sentimentos de recompensa38, outro achado coincidente com a revisao proposta.

O enfermeiro deve estabelecer as prioridades das açoes. É evidente que a sistematizaçao da assistência de enfermagem é um dos meios que o enfermeiro dispoe para aplicar seus conhecimentos técnico-científicos e humanos na assistência ao indivíduo, caracterizando sua prática profissional, colaborando para a definiçao do seu papel35.


CONCLUSAO

Devido à alta complexidade dos cuidados a serem prestados aos suicidas com lesoes causadas pelo fogo, a assistência deve se basear em evidências e na sistematizaçao de condutas e procedimentos de enfermagem. Mas é preciso levar em consideraçao as questoes que levaram o indivíduo a atentar contra sua própria vida, para a promoçao de um cuidado menos mecanizado que valorize a humanizaçao e a integralidade na assistência.

É relevante propor mudanças na assistência às vítimas de suicídio com lesoes causadas por fogo, a partir da quebra de tabus construídos ao longo da história humana. Os indivíduos necessitam, além do suporte à vida, um apoio emocional efetivo.

A capacitaçao das equipes com temas recorrentes, como o gerenciamento da dor referida pelas vítimas, sua complexidade e seus conflitos emocionais sao essenciais. É de responsabilidade dos gestores das unidades a promoçao à saúde e a valorizaçao da vida. Ao oferecer um suporte técnico e emocional ao profissional, a assistência certamente tende a ser mais exitosa.

O estudo apresenta limitaçoes pela escassez de publicaçoes que abordem o tema de uma maneira mais ampla e que contemplem aspectos cotidianos do indivíduo e de seus cuidadores, especificamente na área da Enfermagem. Torna-se necessária a realizaçao novas pesquisas para que as lacunas relacionadas à prevençao do autoextermínio, assistência direta às vítimas e reabilitaçao possam ser sanadas por meio das açoes resolutivas em saúde.


PRINCIPAIS CONTRIBUIÇOES

A pesquisa concorre para a qualificaçao dos profissionais da Enfermagem ao abordar a importância da assistência relacionada às reais necessidades da vítima de suicídio, enfocando seu bem-estar biofísico e psicológico.

Contribui para reflexoes necessárias no que se refere à quebra de paradigmas da assistência centrada no modelo biomédico, a fim de considerar valores individuais por meio da superaçao de um cuidado em saúde que coloque o indivíduo realmente em primeiro lugar.

Contribui para que o profissional perceba e se conscientize de suas fragilidades, medos e receios por atuar em unidades de cuidados complexos, procurando apoio de sua equipe de saúde e dos gestores institucionais.


REFERENCIAS

1. Machin R. Nem doente, nem vítima: o atendimento às "lesoes autoprovocadas" nas emergências. Ciênc Saúde Coletiva. 2009;14(5):1741-50.

2. Suhrabi Z, Delpisheh A, Taghinejad H. Tragedy of women's self-immolation in Iran and developing communities: a review. Int J Burns Trauma. 2012;2(2):93-104.

3. Daolio ER. Suicide: issue for bioethical reflection. Rev Bioét. 2012;20(3):436-41.

4. Brasil. Ministério da Saúde. Estatísticas vitais, mortalidade; 2013 [citado 12 Ago 2016]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0205

5. Marín-León L, de Oliveira HB, Botega NJ. Suicide in Brazil, 2004-2010: the importance of small countries. Rev Panam Salud Publica. 2012;32(5):351-9.

6. Lovisi GM, Santos SA, Legay L, Abelha L, Valencia E. Análise epidemiológica do suicídio no Brasil entre 1980 e 2006. Rev Bras Psiquiatr. 2009;31(Supl. 2):S86-S93.

7. Gonçalves LRC, Gonçalves E, Oliveira Júnior LB. Determinantes espaciais e socioeconômicos do suicídio no Brasil: uma abordagem regional. Nova Econ. 2011;21(2):281-316.

8. Duarte DW. O impacto das lesoes intencionais na sobrevida de pacientes queimados: análise de uma coorte histórica no sul do Brasil. [Dissertaçao]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduaçao em Epidemiologia; 2013. 85 p.

9. Norouzi K, Taghinejad H, Mohammadi F, Mohammadi E, Suhrabi Z. What is missed in self-immolated patients' care? A grounded theory study. J Clin Nurs. 2012;21(23-24):3418-28.

10. Matos JC, Andrade FCB, Madeira MA. Assistência de enfermagem a pacientes vítimas de queimaduras: uma revisao da literatura. Rev Interdisciplin NOVAFAPI. 2011;4(2):74-8.

11. Smeltzer SC, Bare BG. Tratado de enfermagem médico-cirurgica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2009.

12. Silva RMA, Castilhos APL. A identificaçao de diagnósticos de enfermagem em paciente considerado grande queimado: um facilitador para implementaçao das açoes de enfermagem. Rev Bras Queimaduras. 2010;9(2):60-5.

13. Leonardi DF. Lesao e curativos nas queimaduras. In: Nazário NO, Leonardi DF (editores). Queimaduras: Atendimento pré-hospitalar. Palhoça: Unisul; 2012.

14. Brasil. Ministério da Saúde. Prevençao do Suicídio - Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental; 2006 [citado 10 Ago 2016]. Disponível em: http://www.cvv.org.br/downloads/manual_prevencao_suicidio_profissionais_saude.pdf

15. Ozéias LM, Rufino ES, Echevarría-Guanilo ME, Tourinho FSV, Sebold LF. Produçoes científicas da enfermagem brasileira no cuidado de pacientes queimados: revisao bibliométrica. Rev Bras Queimaduras. 2015;14(3):243-8.

16. Botelho LLR, Cunha CCA, Macedo M. Método da revisao integrativa nos estudos organizacionais. Gest Soc. 2011;5(11):121-36.

17. Mendes KDS, Silveira RCCO, Galvao CM. Revisao integrativa: método de pesquisa para a incorporaçao de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008;17(4):758-64.

18. Martins JT, Bobroff MCC, Ribeiro RP, Soares MH, Robazzi MLCC, Marziale MHP. Feelings experienced by the nursing team at a burns treatment center. Esc Anna Nery. 2014;18(3):522-6.

19. Oliveira RA, Andrade ES, Leao CEG. Epidemiologia das tentativas de autoextermínio por queimaduras no estado de Minas Gerais. Rev Bras Queimaduras. 2012;11(3):125-7.

20. Pacheco JS, Damasceno AKC, Alves E, Souza AM. Tentativa de suicídio em mulheres por queimaduras. Rev Rene. 2010;11(2):152-60.

21. Moraes RZC, Frempong RFR, Freitas MS, Soares AUS, Pereira RO, Carvalho GG, et al. Análise comparativa da morbimortalidade antes e após implantaçao de protocolo de atendimento ao queimado. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(3):142-6.

22. Oliveira TS, Moreira KFA, Gonçalves TA. Assistência de enfermagem com pacientes queimados. Rev Bras Queimaduras. 2012;11(1):31-7.

23. Henrique DM, Silva LD. O uso seguro de opioides em pacientes queimados: fundamentando o cuidado de enfermagem. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(1):6-10.

24. Silva BA, Ribeiro FA. Participation of the nursing team in pain management of burned patients. Rev Dor. 2011;12(4):342-8.

25. Coelho JAB, Araújo STC. Desgaste da equipe de enfermagem no centro de tratamento de queimados. Acta Paul Enferm. 2010;23(1):60-4.

26. Vidal CEL, Gontijo ED. Tentativas de suicídio e o acolhimento nos serviços de urgência: a percepçao de quem tenta. Cad Saúde Coletiva. 2013;21(2):108-14.

27. Duarte MLC, Lemos L, Zanini LNN, Wagnes ZI. Percepçoes da equipe de enfermagem sobre seu trabalho em uma unidade de queimados. Rev Gaúcha Enferm. 2012;33(1):77-84.

28. Carvalho ID, Serra MCVF, Macieira Júnior L. Queimadura: tentativa de autoextermínio. Análise de uma década no Hospital do Andaraí - RJ: 2000-2010. Rev Bras Queimaduras. 2011;10(2):57-60.

29. Farina Júnior JA, Almeida CEF, Barros MEPM, Martinez R. Reduçao da mortalidade em pacientes queimados. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(1):2-5.

30. Chaves SCS. Açoes da enfermagem para reduzir os riscos de infecçao em grande queimado no CTI. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(3):140-4.

31. Mendes AS, Silva LCP, Karlburger RL, Costa EWL, Carvalho SNV, Teixeira J. Plano de assistência de enfermagem no cuidado ao paciente com queimadura de terceiro grau. Estaçao Cient Online. 2008;5:1-8.

32. Sousa AL. Compreendendo a experiência da equipe multiprofissional em uma unidade de queimados. [Dissertaçao]. Botucatu: Programa de Pós-Graduaçao em Enfermagem do Departamento de Enfermagem da Faculdade de Medicina de Botucatu da Universidade Estadual Paulista; 2011. 87 p.

33. Carlucci VDS, Rossi LA, Ficher AMFT, Ferreira E, Carvalho EC. A experiência da queimadura na perspectiva do paciente. Rev Esc Enferm USP. 2007;41(1):21-8.

34. Jeschke MG, Pinto RP, Kraft R, Nathens AB, Finnerty CC, GamellI RL et al.; Inflammation and the Host Response to Injury Collaborative Research Program. Morbidity and survival probability in burn patients in modern burn care. Crit Care Med. 2015;43(4):808-15.

35. Teixeira CC, Almeida, WA. Sistematizaçao da assistência de enfermagem ao paciente queimado. Rev Cient Unisalesiano. 2012;3(6):49-58.

36. Castro RJA, Leal PC, Sakata RK. Pain management in burn patients. Rev. Bras. Anestesiol. 2013;63(1):154-8.

37. Bishop SM, Walker MD, Spivak M. Family presence in the adult burn intensive care unit during dressing changes. Crit Care Nurse. 2013;33(1):14-24.

38. Oliveira EB, Guerra OA, Almeida FPFM, Silva AV, Fabri JMG, Vieira MLC. The nursing work at an burn center: psychosocial risks. J Res Fundam Care Online. 2015;7(4):3317-26.









Recebido em 7 de Novembro de 2016.
Aceito em 11 de Janeiro de 2017.

Local de realização do trabalho: Faculdade Ciências Médicas, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Conflito de interesses: Os autores declaram não haver


© 2020 Todos os Direitos Reservados