450
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Editorial

O papel da equipe multidisciplinar na prevenção de infecção no grande queimado

The role of multidisciplinary team in the prevention of infection in major burn

Jayme Adriano Farina Junior

O atendimento ao paciente queimado demanda equipe multidisciplinar devido à magnitude e complexidade deste tipo de trauma, que afeta cerca de 1 milhão de pessoas anualmente no Brasil. A queimadura acomete a pele, o maior órgão do corpo, na quase totalidade dos casos. A destruição extensa da pele, que se configura como órgão vital, abre a barreira de proteção do organismo ao meio externo, tornando-o vulnerável a infecções.

A infecção é uma das principais causas de morte no paciente grande queimado e a sua prevenção deve ser meta constante da equipe multidisciplinar durante todo o tratamento1. A busca por tratamento cirúrgico precoce tem papel essencial na prevenção da infecção e é primordial que a equipe cirúrgica estabeleça cronograma semanal de desbridamentos e enxertias de pele até que o quadro clínico do paciente normalize, ou seja, que o catabolismo intenso e imunossupressão se revertam após a remoção de tecido necrótico com a respectiva cobertura cutânea definitiva.

A equipe de enfermagem tem papel fundamental neste contexto, com a realização da balneoterapia e curativos com agentes antimicrobianos2, mas também com outros cuidados, por exemplo, relativos aos cateteres invasivos. Os cateteres intravasculares podem ser fonte de infecção local e sistêmica, e a área de punção próxima à ferida queimada, longos períodos de internação, grande número de cateteres, inserção dos mesmos no momento da emergência, permanência do cateter por mais de 7 dias no mesmo local, etc. são fatores de risco3, e a enfermagem atua monitorando estes dados para que se busque a melhor conduta preventiva.

A equipe de fisioterapia, por sua vez, atua decisivamente na prevenção de infecção pulmonar com mobilização dos pacientes e exercícios respiratórios. Além disso, a mobilização periódica e o posicionamento correto dos pacientes ao deitar e sentar, função também exercida pela enfermagem, previne a formação de úlceras por pressão (UPP) e o consequente surgimento de portas de entrada para infecções.

Ainda, a oferta adequada de nutrientes e calorias reduz a probabilidade de septicemia, cuidados que as equipes de nutrição e nutrologia exercem diariamente nos grandes queimados. Na esfera psíquica, a psicologia e terapia ocupacional podem exercer função relevante, minimizando os quadros de depressão, estes correlacionados com imunossupressão e infecções decorrentes4.

Por fim, é importante ressaltar o papel da assistência social, procurando viabilizar os cuidados de transporte, criando meios para se evitar períodos prolongados de internação após as condições clínicas já permitindo a alta hospitalar. A permanência no hospital por períodos prolongados de internação aumenta o risco de infecções.

Em suma, as equipes multidisciplinares são de indispensável presença dentro de um Centro de Tratamento de Queimados (CTQs) para a prevenção de infecções, atuando, assim, de forma decisiva na redução da morbimortalidade dos grandes queimados.

Aproveito a oportunidade para enviar aos membros da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) um grande abraço e desejo a todos um ótimo trabalho!


REFERÊNCIAS

1- Farina Jr JA, Almeida CEF, Barros MEPM, Martinez R. Redução da mortalidade em pacientes queimados. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(1):2-5.

2- Chaves SCS. Ações da enfermagem para reduzir os riscos de infecção em grande queimado no CTI. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(3):140-4.

3- Echevarria-Guanilo ME, Ciofi-Silva CL, Canini SR, Farina JA, Rossi LA. Preventing infections due to intravascular catheters in burn victims. Expert Rev Anti Infect Ther. 2009;7(9):1081-6. doi: 10.1586/eri.09.83.

4- Gonella HA, Quevedo F, Garbossa LCD. Colonização bacteriana nas primeiras 24 horas das queimaduras. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(2):99-102.










Médico, Doutor. Departamento de Cirurgia e Anatomia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, SP, Brasil. Conselho Editorial Nacional da Revista Brasileira de Queimaduras - RBQ jafarinajr@fmrp.usp.br

© 2019 Todos os Direitos Reservados